Moscatel Roxo
Moscatel Roxo de Setúbal DSF

MOSCATEL ROXO 1997

COLECÇÃO PRIVADA DOMINGOS SOARES FRANCO
D.O.C. MOSCATEL ROXO

Representante mais novo da sexta geração da família que desde a fundação preside aos destinos da José Maria da Fonseca, Domingos Soares Franco é, para além de vice-presidente, o enólogo principal da empresa.

Embora assine todos os vinhos da José Maria da Fonseca, existem uns que reserva para si como especiais. Chamou-lhes Domingos Soares Franco – Colecção Privada. Estes vinhos resultam da combinação de três factores: a sua formação em Davis e a influência do seu Tio; o terceiro é disponibilidade dos 650 hectares de vinhas da José Maria da Fonseca e a colecção, única em Portugal, de castas nelas plantadas.

A colheita de 2004 permitiu a Domingos Soares Franco apresentar, no âmbito da sua Colecção Privada, um vinho generoso produzido a partir da uva Moscatel na sua versão rosada: o Moscatel Roxo. Trata-se de uma uva bastante rara, que chegou a correr riscos de extinção. Apesar de se poder considerar similar à sua homónima branca, a sua aparência é bem diferente em virtude da sua cor roxa.


FICHA TÉCNICA

REGIÃO

Região Setúbal

PENÍNSULA DE SETÚBAL

ÁREA DA VINHA

-/-

ARGILO-CALCÁRIO

PRODUÇÃO

9.000

PRODUÇÃO DE VINHO

ENGARRAFADO

2016

DEZEMBRO

CASTAS

100

MOSCATEL ROXO

ANÁLISES

18

TEOR DE ÁLCOOL

6.15

ACIDEZ TOTAL
(ÁCIDO TARTÁRICO)

3.03

pH

170

AÇÚCAR RESIDUAL

CONSERVAÇÃO

12º

TEMPERATURA

60

HUMIDADE

LONGEVIDADE

-/-

LARGOS ANOS

NOTAS DE PROVA

COR

Dourado com fundo avermelhado e aurela ligeiramente verde.

AROMA

Frutado – mel, meloa, alperce, tangerina, alguns frutos secos.

PALADAR

Muito frutado, “meloso”, cheio, redondo, boa acidez, taninos ligeiramente presentes mas muito suaves.

FINAL DE PROVA

Muito Longo.

VINIFICAÇÃO

Paragem da fermentação com aguardente vínica, ficando as películas em maceração até Fevereiro/Março do ano seguinte.

ENVELHECIMENTO

Em cascos de madeira usada. Sem estágio de garrafa pois não evolui após o engarrafamento.

MODO DE SERVIR

Como aperitivo a uma temperatura de 10ºC ou, a 16ºC como vinho de sobremesa. Sendo um vinho não filtrado pode estar sujeito a turvação.


content